sexta-feira, 15 de agosto de 2014

TRISTEZA QUE ENLAÇA

Não entendo o lutar tanto para sobreviver
Se eu já não consigo ver o sentido de viver
Tudo me parece tão obscuro e sem graça

Me esforço a enxergar uma luz a me guiar
Mas são tantas coisas que estão a ofuscar
O vapor da tristeza paira em minha vidraça

Pensar no futuro, se não vivo o presente
A decepção e a dor em mim é tão latente
Não sei como esperar sozinha na praça

Não é um sentimento de receio, de medo
Parece um grande devaneio, triste enredo
Que meu eu não fuja de mim, não me traça

Por tantas vezes eu tento um eficiente disfarce
Mas as lágrimas insistem em descer pela face
Sorrir, se quero chorar, grande arte de palhaça


Vannessa Adriana Butterfly

Nenhum comentário: