segunda-feira, 9 de setembro de 2013


ESCREVO

Se sinto alegria, saudade, liberdade, felicidade, 
paixão, amor, se choro, falo, canto, grito, respiro, 
respeito, odeio, esbravejo, me irrito, aprovo, 
desaprovo, se sinto melancolia, euforia, indiferença, 
limitação, aversão, ilusão, desilusão, emoção,
ESCREVO

Se tenho motivação, satisfação, ou se estou 
em completa introspecção, se a chuva cai, 
o vento rui e assopra, as folhas balançam,
o sol ilumina e aquece, as estrelas brilham,
os pássaros cantam, as borboletas voam,
ESCREVO.

Quando em lágrimas, meus olhos navegam, ou,
quando o sorriso em meus lábios se alarga, ou,
ainda, quando as rugas de preocupações aparecem,
espontaneamente, em meu rosto, ou, a emoção,
imaginação e inspiração povoam meu coração,
ESCREVO.

Transcrevo os meus mais diversos sentimentos
para um universo onde eles podem ser, tanto
esquecidos, como, com sorte, serem, de tal
maneira, eternizados nos corações que estão
mui aflitos e ávidos por palavras de consolo,
ESCREVO.

As letras, infelizmente, podem ser apagadas,
deletadas, mas, felizmente, alguns corações
jamais esquecerão do que os seus olhos leem,
pois, por algum motivo, seja ele qual for, podem
serem tocados, profundamente, em seu íntimo,
ESCREVO.

Posso não ter o profissionalismo e conhecimento
dos renomados escritores, mas tenho uma vontade
incrível de fazer as minhas letras ultrapassarem as
fronteiras dos corações com palavras acolhedoras,
questionadoras, reflexivas, transformadoras,
ESCREVO.

Com emoção e razão, sobre a vida, a morte,
a saudade, a lembrança, a presença, a ausência,
sobre mim, sobre você, sobre nós, sobre o meu
mundo, sobre o nosso mundo, para você, por
você, para o mundo, pelo mundo, hoje e sempre,
ESCREVO

Palavras que, do meu coração, transbordam em
emoção, coisas, que muitas vezes me deixam sem
ação, mexem com a minha imaginação, e, também,
me trazem inspiração, me sinto, totalmente, à mercê
dos meus pensamentos, mais íntimos sentimentos,
ESCREVO

Sinto minh'alma leve, missão cumprida, mundo
completo, minhas lágrimas como tintas coloridas, 

pois nem mesmo o tempo pode apagá-las, embora 
a vida esteja em constante transformação, e seja 
tão efêmera, os sentimentos permanecem intactos.
ESCREVO

Se minha escrita sair invisível, aos olhos humanos,

não tiver quem a leia, não me importa, minh'alma 
saberá lê-la bem e interpretá-la com melhor ainda
então, só me resta continuar a cumprir o meu ofício, 
independente da situação, tempo e espaço. 
ESCREVO.

Vannessa Adriana Butterfly