quinta-feira, 4 de outubro de 2012

RETROCESSO

Eu sempre valorizei, admirei, e me envaideci
pela oportunidade de, uma sem graça, lagarta
ter se transformado, numa aparente, borboleta

Não foi fácil, ter que viver essa metamorfose,
para conseguir ser um melhor ser num ser já
existente, numa variedade de cores, ser espelho

Então, eu pensei e tentei fazer valer a pena,
só não pensava que sem a proteção do casulo,
eu teria que viver, sobreviver às duras penas

Voei, sobrevoei, pairei pelos mais lindos jardins,
experimentei, me deliciei dos mais doces néctares,
nem pensei: Rosas são lindas, mas têm espinhos

E, alguns desses espinhos, minhas asas feriram,
e uma incrível vontade de retroceder ao casulo,
no intuito de reabilitar minhas asas, me invadiu.


Vannessa Adriana Butterfly