quarta-feira, 14 de setembro de 2011


REVOAR DA BORBOLETA

Senti, no meu coração, que já não mais vou
Reviver o que, nessa minha triste história de
Vida, enfrentei, pois, esse mundo, sem mais,
nem menos, impiedoso, muito me maltratou.


Eu confesso que desiludi, e por muito pouco,
Do meu caminho não desisti, pois, pressenti
Que a vida, poderia ser infinitamente mais,
E bem melhor do que o pouco que me restou.

Percebi, então, que novamente muitas janelas
Se apresentavam a mim, totalmente, abertas
Redescobri, emocionada, que as minhas asas
Recomeçaram a se movimentarem, alertas.

Ressurgia excelente oportunidade de revoar.
Então, livre dos mais diversos ressentimentos,
Me senti, especialmente, forte para recomeçar
Bem diferente, prontra para todos momentos. 

Vannessa Adriana Butterfly