quinta-feira, 1 de setembro de 2011


BAGAGEM
 
Independente do lugar que escolhemos ir, crendo estarmos fugindo do mais triste e avassalador sofrimento, ou ainda, de mero sentimento, será nada mais, nada menos que uma fulga frustrada.

Pois, é certo que esse sentimento não está ao nosso lado nem tão pouco atrás de nós, e muito menos à nossa frentre, mas, com a mais absoluta certeza, o carregamos dentro de nós.

Então, independente de onde formos, ou com quem formos, sempre levaremos dentro do nosso coração, todo e qualquer sentimento que nos faz bem, assim também, o que sinto em relação a todos os que nos fazem sofrer.

E, sinceramente, não importa o tamanho do nosso coração, sem dúvida, é uma bagagem bem projetada para suportar muitas emoções, o peso de muitos dissabores, às vezes, sem dano definitivo, porém com um certo desgaste.

Às vezes, encontramos pelo caminho, raras pessoas de alma caridosa que nos ajudam a carregá-la, mas, geralmente, a carregamos tão sozinhos, contando tão somente com as tais "rodinhas", como um mero apoio.

No entanto, em outras inevitáveis vezes, temos mesmo que carregar sozinhos e, sem ajuda das tais "rodinhas", pois nos encontramos em um momento solo, sem apoio, num difícil caminho de pedregulhos, e aprendizagem.

Mas, o bom é que o coração é uma bagagem dinâmica, com aberturas, possibilidades incríveis para conseguirmos esvaziá-la de qualquer sentimento ruim, e a preenchermos com coisas necessárias, boas e importantes. 

Por isso, devemos ter a consciência ativa para selecionarmos bem o que entrará, como, também, o que permanecerá, de agora em diante, em nosso coração, sem nos esquecermos que somos nós quem teremos que suportar o peso.

Vannessa Adriana Butterfly