sexta-feira, 30 de setembro de 2011


É PRIMAVERA

Sempre haverá um novo e bom
caminho pronto para se seguir, 
e se algum deles se apresentar bem 
colorido e, perfeitamente, florido,
embora a consciência  dos espinhos,
é um maravilhoso e sempre inegável
convite, ao coração, para sorrir.

Semeado, germinado, e sempre bem
cuidado com toda nossa dedicação,
eis que surgirá um lindo jardim,
preparado e ávido para floração,
que nos convida, sempre, à vida, 
para sem medo nenhum, conseguir
nos convencer a querer prosseguir.

Aroma, beleza e cor, cumprindo bem
as suas divinas funções de encher-nos 
os olhos, preencher-nos o coração,
e acalentar-nos bem a nossa alma, 
trazendo leveza ao nosso corpo, e 
fazendo o nosso espírito agradecido, 
com emoção sem abandonar a razão.

Se já conseguimos tirar alguma
lição dessa vida, temos consciência,
que não precisamos nos preocupar 
com os prováveis espinhos contidos
no caminho, pois conseguiremos
nos conduzir em bons alinhos, que,
certamente, serão nossa defesa.

Vannessa Adriana Butterfly

domingo, 25 de setembro de 2011



SOPRAI EM MIM, BRISA DO VENTO...

Sim, lindo par de asas eu recebi,  
imediatamente, me encantei... 
Sei que se meus olhos eu abrir,  
certamente, não as enxergarei... 

Soprai em mim, brisa do vento,
 avidamente, eu aproveitarei...
Sei que se os meus olhos eu fechar,
absolutamente, bem longe voarei... 

Vannessa Adriana Butterfly

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

LIBERDADE!!!
SOU BORBOLETA E VOU VOAR

Para mim, a vida começa, 
novamente, a se apresentar.
Sinto, então, que já não há 
mais tempo de me esquivar.

Sei que preciso sentir a brisa 
do mar, minh'alma refrescar.
E, levemente, do calor do sol, 
para meu coração esquentar.

Quero ir além do horizonte, 
poder bem longe percorrer.
Tendo plena consciência dos 
riscos que posso e vou correr.

E, às muitas agruras da vida, 
eu não quero, e não vou temer.
Sei que nem tudo serão flores, 

mas, perseverança eu vou ter.

Certezas eu adquiri, por todo 
o longo caminho que eu percorri:
Dos néctares das flores, preciso

 me alimentar para força adiquirir.

Consciência, eu tenho, de que, 
ainda que eu precise muito lutar
Nem por cordéis invisíveis, nem
por laços, deixarei me acorrentar.

Lição, especialmente, maravilhosa
aprendi: Devo, sempre, aproveitar
O calor do sol, a brisa do mar, 
o sopro do vento, o lindo luar.

Tudo que há de bom em mim, quero
conservar, e a liberdade vou usar.
Ah! Sou uma livre BORBOLETA: 
Preciso, quero e vou voar.

Vannessa Adriana Butterfly

quarta-feira, 14 de setembro de 2011


REVOAR DA BORBOLETA

Senti, no meu coração, que já não mais vou
Reviver o que, nessa minha triste história de
Vida, enfrentei, pois, esse mundo, sem mais,
nem menos, impiedoso, muito me maltratou.


Eu confesso que desiludi, e por muito pouco,
Do meu caminho não desisti, pois, pressenti
Que a vida, poderia ser infinitamente mais,
E bem melhor do que o pouco que me restou.

Percebi, então, que novamente muitas janelas
Se apresentavam a mim, totalmente, abertas
Redescobri, emocionada, que as minhas asas
Recomeçaram a se movimentarem, alertas.

Ressurgia excelente oportunidade de revoar.
Então, livre dos mais diversos ressentimentos,
Me senti, especialmente, forte para recomeçar
Bem diferente, prontra para todos momentos. 

Vannessa Adriana Butterfly

quinta-feira, 1 de setembro de 2011


BAGAGEM
 
Independente do lugar que escolhemos ir, crendo estarmos fugindo do mais triste e avassalador sofrimento, ou ainda, de mero sentimento, será nada mais, nada menos que uma fulga frustrada.

Pois, é certo que esse sentimento não está ao nosso lado nem tão pouco atrás de nós, e muito menos à nossa frentre, mas, com a mais absoluta certeza, o carregamos dentro de nós.

Então, independente de onde formos, ou com quem formos, sempre levaremos dentro do nosso coração, todo e qualquer sentimento que nos faz bem, assim também, o que sinto em relação a todos os que nos fazem sofrer.

E, sinceramente, não importa o tamanho do nosso coração, sem dúvida, é uma bagagem bem projetada para suportar muitas emoções, o peso de muitos dissabores, às vezes, sem dano definitivo, porém com um certo desgaste.

Às vezes, encontramos pelo caminho, raras pessoas de alma caridosa que nos ajudam a carregá-la, mas, geralmente, a carregamos tão sozinhos, contando tão somente com as tais "rodinhas", como um mero apoio.

No entanto, em outras inevitáveis vezes, temos mesmo que carregar sozinhos e, sem ajuda das tais "rodinhas", pois nos encontramos em um momento solo, sem apoio, num difícil caminho de pedregulhos, e aprendizagem.

Mas, o bom é que o coração é uma bagagem dinâmica, com aberturas, possibilidades incríveis para conseguirmos esvaziá-la de qualquer sentimento ruim, e a preenchermos com coisas necessárias, boas e importantes. 

Por isso, devemos ter a consciência ativa para selecionarmos bem o que entrará, como, também, o que permanecerá, de agora em diante, em nosso coração, sem nos esquecermos que somos nós quem teremos que suportar o peso.

Vannessa Adriana Butterfly