quinta-feira, 28 de julho de 2011


DESEJO DE UM CORAÇÃO FERIDO 

Uma típica calmaria vinda após densa chuva, 
tão assustadora que consegue nos arrebatar, 
e uma enorme melancolia, nos faz ausentar da 
nossa noção, ficar longe da razão, uma infinita
emoção, comoção, ativando nossa inspiração.


Calmaria, essa, que nos convoca até à janela, 
e, levemente, escorremos com nossos dedos, as 
gotas d'água da vidraça, observando o fim da
tempestade que se esvai em últimas gotículas
como dançarinas ao som de melodiosa canção.


Com um pouco de sorte, enxergamos um lindo
e relusente arco-íris, por trás do sol radiante,
com a janela emoldurando a linda paisagem,
diante dos nossos perplexos, porém, crédulos
olhos, direcionados por nosso frágil coração.


Pois, então, após cessada essa longa noite de
densa chuva, o dia desperta com um lindo sol
resplandecente em brilho e calor, e é essa, a
sensação que eu estou desejando amanhecer
qualquer dia desses, no meu ferido coração.
 


Vannessa Adriana Butterfly