quinta-feira, 28 de julho de 2011


ALMA LIVRE 

Às vezes, sinto que os meus olhos se perdem
lentamente no infinito, nesse exato instante,
sinto minh'alma percorrendo um lugar mágico, 
por mim jamais visitado, irreconhecível, mas,
tão afável que arrebata-me da tensa realidade.

Então, me entrego a verve, e sinto-me uma poeta
de alma livre, pareço liberar o corpo, para que 
meu espírito se deleite agradecido, pois algo até 
então camuflado, enxergo como numa miragem,
interessante realidade, em tal expressividade. 

Quando ele retorna, não deixa de trazer consigo,
uma premiada inspiração, para que com fértil
imaginação, e em qualquer quantidade de boas
e emocionantes palavras, eu consiga transmitir
às pessoas, um pouco de alegria e humanidade.

Levando-as a sentirem, pensarem, sonharem e
enxergarem, por meio do espelho da minh'alma,
numa imagem translúcida do meu próprio eu, 
bem alucinado e em completo e eufórico êxtase, a
desejarem, no profundo de suas almas, liberdade.
 
Vannessa Adriana Butterfly