segunda-feira, 31 de outubro de 2011



MOMENTO TRISTE

Sinto-me tão triste,
que pela face em riste,
lágrimas insistem jorrar.


Assim, tão fumegantes,
meu coração a queimar,
e minh'alma a arrasar.


Sinto-me tão angustiada,
e não consigo fazer nada
a não ser, muito chorar.


Assim, vou me reservar
até que eu sinta passar
essa dor a me devastar.


Vannessa Adriana Butterfly

quarta-feira, 12 de outubro de 2011


CRIANÇA EM MIM

Mantenho uma criança viva dentro de mim,
fazendo-me uma adulta racional e emocional.
E mesmo criança, em sua prematura sensatez, 
permanece influenciando em minhas decisões.

Coerente, menos ríspida e impetuosa que eu,
ajuda-me atenuar instintos, fortalecer o amor
Os anos que dela me distanciam, não a afasta
de mim, pelo contrário, renova-me dia-a-dia.

Sinto uma necessidade de mantê-la em mim,
pois, é dela que vem a inocência do meu ser.
Manifesta-se vibrante e tão convincente, que
me impulsiona a buscar ser uma adulta feliz.


Capaz de acolher o mundo e reconstruir os
caminhos que se desfazem diante de mim.
Uma porção mágica no meu ser, que me
permite sonhar e, crer em dias melhores.

Portadora do melhor de mim, dos melhores 
sentimentos, então, eu a amo e a preservo.
É parte da minha personalidade, que deseja
se desenvolver, para que eu me torne inteira.


Sinto que, cuidando-a, celebro a juventude,
não permitindo meu espírito se envelhecer.
Por isso, é que pretendo, por toda a minha 

vida, preservá-la bem viva dentro de mim.

Expectativas da minha criança interior, 
permeadas por meus sonhos de adulta.
Me ajudam torná-los em doce realidade,
por essa brava conquista da maturidade.

E, é por todos esses bons motivos, que à 
minha criança, e às que os outros adultos 
fazem questão de bem preservá-las em si, 
eu parabenizo e desejo felicidades sem fim.

Vannessa Adriana Butterfly

sexta-feira, 30 de setembro de 2011


É PRIMAVERA

Sempre haverá um novo e bom
caminho pronto para se seguir, 
e se algum deles se apresentar bem 
colorido e, perfeitamente, florido,
embora a consciência  dos espinhos,
é um maravilhoso e sempre inegável
convite, ao coração, para sorrir.

Semeado, germinado, e sempre bem
cuidado com toda nossa dedicação,
eis que surgirá um lindo jardim,
preparado e ávido para floração,
que nos convida, sempre, à vida, 
para sem medo nenhum, conseguir
nos convencer a querer prosseguir.

Aroma, beleza e cor, cumprindo bem
as suas divinas funções de encher-nos 
os olhos, preencher-nos o coração,
e acalentar-nos bem a nossa alma, 
trazendo leveza ao nosso corpo, e 
fazendo o nosso espírito agradecido, 
com emoção sem abandonar a razão.

Se já conseguimos tirar alguma
lição dessa vida, temos consciência,
que não precisamos nos preocupar 
com os prováveis espinhos contidos
no caminho, pois conseguiremos
nos conduzir em bons alinhos, que,
certamente, serão nossa defesa.

Vannessa Adriana Butterfly

domingo, 25 de setembro de 2011



SOPRAI EM MIM, BRISA DO VENTO...

Sim, lindo par de asas eu recebi,  
imediatamente, me encantei... 
Sei que se meus olhos eu abrir,  
certamente, não as enxergarei... 

Soprai em mim, brisa do vento,
 avidamente, eu aproveitarei...
Sei que se os meus olhos eu fechar,
absolutamente, bem longe voarei... 

Vannessa Adriana Butterfly

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

LIBERDADE!!!
SOU BORBOLETA E VOU VOAR

Para mim, a vida começa, 
novamente, a se apresentar.
Sinto, então, que já não há 
mais tempo de me esquivar.

Sei que preciso sentir a brisa 
do mar, minh'alma refrescar.
E, levemente, do calor do sol, 
para meu coração esquentar.

Quero ir além do horizonte, 
poder bem longe percorrer.
Tendo plena consciência dos 
riscos que posso e vou correr.

E, às muitas agruras da vida, 
eu não quero, e não vou temer.
Sei que nem tudo serão flores, 

mas, perseverança eu vou ter.

Certezas eu adquiri, por todo 
o longo caminho que eu percorri:
Dos néctares das flores, preciso

 me alimentar para força adiquirir.

Consciência, eu tenho, de que, 
ainda que eu precise muito lutar
Nem por cordéis invisíveis, nem
por laços, deixarei me acorrentar.

Lição, especialmente, maravilhosa
aprendi: Devo, sempre, aproveitar
O calor do sol, a brisa do mar, 
o sopro do vento, o lindo luar.

Tudo que há de bom em mim, quero
conservar, e a liberdade vou usar.
Ah! Sou uma livre BORBOLETA: 
Preciso, quero e vou voar.

Vannessa Adriana Butterfly

quarta-feira, 14 de setembro de 2011


REVOAR DA BORBOLETA

Senti, no meu coração, que já não mais vou
Reviver o que, nessa minha triste história de
Vida, enfrentei, pois, esse mundo, sem mais,
nem menos, impiedoso, muito me maltratou.


Eu confesso que desiludi, e por muito pouco,
Do meu caminho não desisti, pois, pressenti
Que a vida, poderia ser infinitamente mais,
E bem melhor do que o pouco que me restou.

Percebi, então, que novamente muitas janelas
Se apresentavam a mim, totalmente, abertas
Redescobri, emocionada, que as minhas asas
Recomeçaram a se movimentarem, alertas.

Ressurgia excelente oportunidade de revoar.
Então, livre dos mais diversos ressentimentos,
Me senti, especialmente, forte para recomeçar
Bem diferente, prontra para todos momentos. 

Vannessa Adriana Butterfly

quinta-feira, 1 de setembro de 2011


BAGAGEM
 
Independente do lugar que escolhemos ir, crendo estarmos fugindo do mais triste e avassalador sofrimento, ou ainda, de mero sentimento, será nada mais, nada menos que uma fulga frustrada.

Pois, é certo que esse sentimento não está ao nosso lado nem tão pouco atrás de nós, e muito menos à nossa frentre, mas, com a mais absoluta certeza, o carregamos dentro de nós.

Então, independente de onde formos, ou com quem formos, sempre levaremos dentro do nosso coração, todo e qualquer sentimento que nos faz bem, assim também, o que sinto em relação a todos os que nos fazem sofrer.

E, sinceramente, não importa o tamanho do nosso coração, sem dúvida, é uma bagagem bem projetada para suportar muitas emoções, o peso de muitos dissabores, às vezes, sem dano definitivo, porém com um certo desgaste.

Às vezes, encontramos pelo caminho, raras pessoas de alma caridosa que nos ajudam a carregá-la, mas, geralmente, a carregamos tão sozinhos, contando tão somente com as tais "rodinhas", como um mero apoio.

No entanto, em outras inevitáveis vezes, temos mesmo que carregar sozinhos e, sem ajuda das tais "rodinhas", pois nos encontramos em um momento solo, sem apoio, num difícil caminho de pedregulhos, e aprendizagem.

Mas, o bom é que o coração é uma bagagem dinâmica, com aberturas, possibilidades incríveis para conseguirmos esvaziá-la de qualquer sentimento ruim, e a preenchermos com coisas necessárias, boas e importantes. 

Por isso, devemos ter a consciência ativa para selecionarmos bem o que entrará, como, também, o que permanecerá, de agora em diante, em nosso coração, sem nos esquecermos que somos nós quem teremos que suportar o peso.

Vannessa Adriana Butterfly

sexta-feira, 29 de julho de 2011


COMO É QUE AS PESSOAS ME VÊEM?


Será que eu sou como as pessoas me vêem, e não aquilo que eu penso, ou quero ser? Ou, ainda, será que não sou nenhuma coisa nem outra, sou uma mistura de todas as coisas, um pouco do que quero, do que penso, do que querem, do que pensam que sou? Não é que eu me importe, sinceramente, com isso, ou que isso exerça alguma grande diferença na minha vida, mas eu sinto ser intrigante o exercício de pensar em como os outros me vêem, e fazer uma análise do que realmente eu sou, penso ser, quero ser, e no que pensam, ou exigem, visivelmente ou camufladamente, que eu seja.

Eu não tento passar nenhuma imagem, e eu sei que, se eu tentasse, não conseguiria mesmo, pois sou muito sincera e transparente. E, é justamente por esse meu jeito direto de ser, que algumas pessoas já se atreveram em me falar que sinceridade demais pode atrapalhar, e, apesar de já ter comprovado isso, na minha vida, em diversas situações, por incontáveis vezes, quero continuar insistindo na minha sinceridade, na minha autenticidade, pois é sem hipocrisia que me sinto feliz.

E, mesmo eu percebendo que não agrado a todos, com essa minha maneira de ser, não uso máscaras, e não quero passar nenhuma imagem diferente da pessoa que eu sou, sei que essa tentativa de passar uma outra imagem seria frustrada, pois a falsa imagem seria distorcida de mil maneiras diferentes, de modo que eu desagradaria ainda mais, pois não suporto, me sufoco com máscaras, e, com certeza, não me comportaria bem, nem o tempo suficiente nelas.

Dificilmente, vou encontrar alguém que me veja como eu sou, isso, porque as pessoas nem sempre são imparciais ao analisarem umas às outras. Permitem-se influenciarem por coisas alheias à realidade, ou julgam pela aparência, sem se preocuparem com o conteúdo, com a essência.

Quase sempre levam em consideração, conceitos pré concebidos, os sentimentos que, sem nos conhecer direito, sem nunca ter nos dirigido a palavra, ou ter ouvido alguma opinião nossa, já nutrem por nós (sejam eles positivos ou negativos), também levam em consideração as opiniões que já ouviram sobre nós, as situações pelas quais já passaram com alguém que de alguma forma os levam a lembrar de nós, a nos comparar com outros.

Sem contar, que cada pessoa tem uma personalidade, tem o seu jeito de ser, sentir, pensar, agir e reagir, cada um tem os seus conceitos de moral, ética e bons costumes sociais, que há diferenciação de caráter, e muitos não se ligam que a moral e a ética deveria ser trabalhada da mesma forma na vida de cada pessoa, e que todos desde a mais tenra idade deveriam pautarem suas vidas em bons costumes, para desde adquirirem bom caráter.

Confesso que, eu sou muito ruim em conseguir esconder os meus sentimentos, e as pessoas, em sua grande maioria, são muito ruins em captá-los, percebo isso, geralmente, pela imensa quantidade de interpretações equivocadas diante das minhas ações, reações, demonstrações ou omissões.

Eu queria ser uma pessoa um tanto quanto fria, sabe? Sentir bem menos, pensar menos, demonstrar menos, me preocupar menos, me importar menos, gostar menos... Mas, eu não consigo ser menos, sou sempre mais. Tenho esse meu jeitinho peculiar de ser, e mesmo ciente de que nem todas as pessoas me vêem como eu sou, realmente, eu prefiro continuar sendo eu, desse jeitinho, me aperfeiçoando, me transformando em um melhor ser dentro do mesmo ser de que eu me orgulho em ser.

E, com um pouco de fé e perseverança, permaneço a esperar que um dia as pessoas comecem a me enxergar além das aparências. Quem sabe, assim eu não consiga ser vista pela minha essência, como eu sou de verdade, e não como pensam que sou, ou querem que eu seja até com uma certa exigência, em equivocada experiência.

Vannessa Adriana Butterfly

quinta-feira, 28 de julho de 2011


ALMA LIVRE 

Às vezes, sinto que os meus olhos se perdem
lentamente no infinito, nesse exato instante,
sinto minh'alma percorrendo um lugar mágico, 
por mim jamais visitado, irreconhecível, mas,
tão afável que arrebata-me da tensa realidade.

Então, me entrego a verve, e sinto-me uma poeta
de alma livre, pareço liberar o corpo, para que 
meu espírito se deleite agradecido, pois algo até 
então camuflado, enxergo como numa miragem,
interessante realidade, em tal expressividade. 

Quando ele retorna, não deixa de trazer consigo,
uma premiada inspiração, para que com fértil
imaginação, e em qualquer quantidade de boas
e emocionantes palavras, eu consiga transmitir
às pessoas, um pouco de alegria e humanidade.

Levando-as a sentirem, pensarem, sonharem e
enxergarem, por meio do espelho da minh'alma,
numa imagem translúcida do meu próprio eu, 
bem alucinado e em completo e eufórico êxtase, a
desejarem, no profundo de suas almas, liberdade.
 
Vannessa Adriana Butterfly

DESEJO DE UM CORAÇÃO FERIDO 

Uma típica calmaria vinda após densa chuva, 
tão assustadora que consegue nos arrebatar, 
e uma enorme melancolia, nos faz ausentar da 
nossa noção, ficar longe da razão, uma infinita
emoção, comoção, ativando nossa inspiração.


Calmaria, essa, que nos convoca até à janela, 
e, levemente, escorremos com nossos dedos, as 
gotas d'água da vidraça, observando o fim da
tempestade que se esvai em últimas gotículas
como dançarinas ao som de melodiosa canção.


Com um pouco de sorte, enxergamos um lindo
e relusente arco-íris, por trás do sol radiante,
com a janela emoldurando a linda paisagem,
diante dos nossos perplexos, porém, crédulos
olhos, direcionados por nosso frágil coração.


Pois, então, após cessada essa longa noite de
densa chuva, o dia desperta com um lindo sol
resplandecente em brilho e calor, e é essa, a
sensação que eu estou desejando amanhecer
qualquer dia desses, no meu ferido coração.
 


Vannessa Adriana Butterfly

quarta-feira, 27 de julho de 2011


O AMOR 

O amor propõe paz e união, 
nos alerta para a comunhão,
desperta imensurável emoção.


O amor nos estende sua mão, 
se aceitamos abrir o coração, 
em nós inicia uma renovação.

O amor nos ajuda a questionar,
nos leva à realidade despertar, 

sentirmos em nós, nos libertar.

O amor na sua melhor mistura,
de razão com emoção, mais pura
prova de uma grande bravura.


O amor estimula às alianças,
sua presença traz mudanças,
renovando nossas esperanças.


O amor nos é linda sublimação,
se reconhecemos nele única razão,
de alcançarmos plena realização.


O amor, se vivido intensamente,
com todas as forças da nossa mente,  
certamente, se torna permanente.

O amor, chance de uma reiniciação,
reencontro que na reaproximação
reafirma uma enigmática ligação.

O amor, em sua magnitude latente,
se existente, verdadeiramente, faz 
da vida uma lareira incandescente. 

O amor é nossa maior satisfação,
na vida parece ser a única razão

da existência de uma eternização. 

Vannessa Adriana Butterfly

domingo, 17 de julho de 2011


IGUAIS, PORÉM, DIFERENTES

Quando recomeçamos algo em nossa vida, às vezes, chegamos a acreditar que somos diferentes em tudo, mas, com o passar do tempo, percebemos que somos os mesmos, com o mesmo jeito de ser, de pensar, de sentir, de agir e, talvez, até com os mesmos hábitos, com os nossos limites delineando tudo, com os defeitos mais a mostra, e as qualidades bem escondidinhas.

Mas, estamos sempre tentando mudar, ou mudando sempre alguma coisa em nós para parecermos sempre diferentes, para nos sentirmos diferentes e melhores, e mesmo assim, inevitavelmente, nos sentimos, igualmente, como sempre.

E, isso é interessante, porque esse sentimento de tudo igual novamente, nos faz enxergar o que há de bom e ruim em nós mesmos, e o melhor a fazer é, assumir o nosso eu, que até pode continuar, eternamente, igual na essência, mas, podendo ser diferentemente na consciência, na vivência, na experiência.

Não há como escapar disso: ou nos assumimos como somos, ou passamos a vida lutando para ser quem não somos. E, devemos ter a consciência que, apesar de quase nunca conserguirmos nos mudar, essencialmente, temos a oportunidade de podermos mudar em algumas coisas, mas não podemos querer ou pensar que deixaremos de ser nós mesmos.

Então, não mudamos na essência, mas, mudamos muito de sonhos, mudamos de pontos de vista e de necessidades, e no decorrer da vida, vamos substituindo nossos desejos e expectativas. Se nada muda dentro de nós, os sentimentos que temos, as coisas, ou a meneira com que sofremos as coisas, também não mudam.

Podemos mudar a forma de lidarmos com quem somos, isso sim, faz a diferença, faz bem, nos faz melhor conosco e com os outros. O desejo de sempre ser outro, é na verdade, uma forma de nunca nos entregarmos à vida, estamos sempre fugindo de  autodefinirmos, fazermos nossas próprias escolhas, e arcarmos com as consequências de cada uma de nossas atitudes ou omissões, sejam boas ou ruins, cada uma delas.

E, a realidade é que, não é o começo e nem o fim de nada que nos faz mudar, mas a nossa vontade de ser melhor, e a nossa força de lutar para isso se tornar real, seja no início, no meio ou quase no fim de qualquer coisa, de qualquer época, em qualquer situação, com qualquer pessoa. Então, apesar de continuarmos sendo quem somos, essencialmente, podemos ser diferentes em tudo aquilo que tivermos vontade e atitude para mudar, sendo um novo ser no ser já existente em nós mesmos.

Vannessa Adriana Butterfly

quarta-feira, 6 de julho de 2011

 
 
LIBERDADE

L    iberte-me, pois sou unicamente uma tradução
I    terpretação dos meus mais íntimos mistérios
B   eirando um abismo que de cima não avisto o chão
E   xcluí-me de tristes e aprisionados critérios 
R   econstruindo uma ideia de grande inspiração  
D   escontruindo os cuidados que só parecem sérios 
A   ssumindo, que há uma liberdade de imaginação  
D   esvendando sempre os labirintos de impérios  
E   não permitindo, que de mim, façam compilação 

Vannessa Adriana Butterfly

terça-feira, 28 de junho de 2011


TRISTEZA DISFARÇADA

Quem me vê alegre assim desse jeito,
Não sabe da dor que carrego no peito,
E, nem do que o meu coração é feito.


Quem me vê assim, de rosto pintado,
Não sabe que já devia tê-lo borrado,
Pelas as lágrimas que tenho chorado.


Se pudessem enxergar a minha alma,
Por certo não mais bateriam palmas,
Nem de mim, dariam mais risadas.


Com um sorriso estampado na face,
Em riste, uma lágrima em disfarce,
Uma boa aparência de alegria nasce.

Independente da dor no meu coração,
Me importa é a minha imaginação,
Trazida por uma mágica inspiração.


Escolhi por assim seguir, à revelia,
Transformando a dor em poesia,
Em muitos, despertando a alegria.


Pelas pessoas que amo, me convenso
E, com um sorriso eu me apresento,
Fazendo rir, mesmo estando sofrendo.


A minha inocente alma de criança,
Alimenta nos adultos a esperança,
Um sonho é real com perseverança.

Vannessa Adriana Butterfly

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Um vídeo, com uma música sobre BORBOLETA - 
uma das minhas enormes paixões, 
oferecido à mim, por um amigo do coração, Ton Morais. 
 E, eu adorei, pois até eu mesma me enxerguei 
através desse vídeo, dessa música...
Obrigadíssima, meu querido amigo, que mora 
no meu coração há muito tempo, 
e te amadoro mais que demais.

Vannessa Adriana Butterfly

quinta-feira, 23 de junho de 2011


EU

Um ser inacabado, que se considera apenas mais um em meio a multidão. Mas que está sempre em busca de uma louvável autoconstrução. Trilhando o caminho, às vezes, florido, outras, espinhoso, mas sem faltar imaginação, colocada, sempre, a serviço da inspiração.

E, certamente, essa é uma das maiores experiências que revela uma significativa interiorização. E ainda aponta a importância de fazer valer o precioso poder de mutação. Sigo, acreditando que eu vou alcançando, dentro das minhas muitas limitações, mas numa busca desenfreada, uma significativa evolução.

Voando alto e graciosa, seja na primavera ou ainda em qualquer outra estação, e seja aqui, ou ali, sempre cumprindo a minha intransferível, importante e valiosa missão. Uma nada aparente lagarta, transformada em uma linda e iluminada borboleta, no incrível mistério da transformação que envolve qualquer ser que se dispõe passar pacientemente por todas as fases da metamorfose, e após tantas dificuldades enfrentadas e suportadas, desperta, em certos seres, muita admiração.

Vannessa Adriana Butterfly

quarta-feira, 22 de junho de 2011


METAMORFOSE

Eu entendo que nada em nossa vida esteja exatamente definido, portanto, acredito que nenhum ser humano é imutável, por mais que acreditamos já ter uma personalidade definida, não acredito que sentimos, pensamos e queremos sempre as mesmas coisas, nem do mesmo jeito todo o tempo.

Agora, gostamos do branco ou do preto, mas pode ser que num momento seguinte nos apaixonamos pelo cinza, ou por uma completa aquarela de intermináveis nuances, às vezes, queremos ir para o céu ou para o mar, mas podemos nos encantar pela terra desejando nela permanecer, preferimos o dia ou à noite, mas algum motivo pode nos levar à fascinação pela gélida e cálida madrugada, ou ainda pelo entardecer.

E, isso acontece em todos os sentidos da nossa vida, não fomos criados para sermos estáticos, não nos acostumamos com uma permanente letargia, estamos em constantes transformações, temos o poder da fácil adaptação a lugares, a climas, a situações, a pessoas, a novos sentimentos, pois, quase sempre, mudar é preciso, seja por opção, ou qualquer tipo de imposição.

Tenhamos, então, o devido discernimento do momento certo para a prática dessa metamorfose humana, e assim podemos manter uma linha de convivência mais satisfatória com esse mundo, com nós mesmos, com os outros seres humanos e por toda a modificação, ou transformação por que passa qualquer um.

Vannessa Adriana Butterfly

terça-feira, 21 de junho de 2011


TEMPO: SENHOR DA RAZÃO.

O tempo pode ser o senhor da razão sim, pois muitas vezes precisamos dele para repensar nossas atitudes, para termos uma melhor visão, enxergarmos através de uma outra ótica  as coisas e, a partir daí, termos melhores esclarecimentos. Com o tempo, parece que os pensamentos ficam mais claros, e conseguimos tomarmos decisões mais acertadas.

Acredito que o tempo é capaz de nos ensinar a perceber a vida e a entender muitas coisas pelas quais passamos e na impulsividade do momento não as aceitamos. O tempo nos ajuda a ter um maior discernimento entre a razão e a emoção, e muitas vezes faz com que o nosso coração, mesmo tomado das mais diversas emoções, siga racionalmente um caminho onde encontramos menos pedras e mais flores, apesar dos espinhos.

Não quero, aqui,  falar da generosidade ou não do tempo,  já que quase sempre ele nos falta mais do que nos compensa... Pois é o tempo que nos ajuda a curar as feridas, mas também é o responsável por levar de nós, sem nenhuma piedade, alguns sentimentos, momentos, coisas, pessoas que tanto amamos.

Não são poucas as vezes que levamos tempo demais para perceber nossos erros, e como é bom  e importante ter tempo de repará-los... Alguns erros vão além do tempo e se tornam tarde demais para reparação, e as consequências vêm, mas nunca será tarde demais e nem um tempo perdido para o reconhecimento, e o devido, arrependimento.

Por vezes, é o tempo que nos ajuda a curar, ou ao menos, cicatrizar as feridas que a vida se encarrega de provocar, para que elas nem sejam mais lembradas, ou se cicatrizadas, não sangrem mais... Então, eu acredito que além de ser a melhor das escolas é o mais eficiente dos bálsamos para o nosso coração.

Vannessa Adriana Butterfly

sexta-feira, 17 de junho de 2011


F A M Í L I A


F    onte inesgotável de vida plena em amor e 
       companheirismo.
A    h! Com toda certeza, é o bem mais precioso 

       que tenho nessa vida.
M   eu porto seguro em qualquer momento, seja 

       ele fácil ou difícil.
I     nspiração verdadeira para uma vida de bom 

      caráter, moral e ética.
L   aços de sangue, irremediavelmente, entrelaçados 

      por laços de emoção.
I    mpossível viver bem sem ser parte integrante 

      dessa clássica união.
A   mor incondicional, harmonia necessária, um 

      presente para toda a vida. 

Vannessa Adriana Butterfly

quinta-feira, 16 de junho de 2011



NOSTALGIA

Embora, falem que a saudade é um sentimento gostoso de se sentir, pois é sinal de que vivemos algo legal e que nos deixou uma marquinha positiva, eu acredito que, às vezes, não que chega a ser algo negativo, mas que seja algo que pode causar dor ou ter deixado um triste vazio no coração.

Deve ser porque me lembra que as coisas boas acabam, que tudo passa... A saudade, as duras penas, me ensina que nada de bom nessa vida  é eterno, mas é importante que seja inesquecível... Porém, que seja inesquecível de uma forma que seja lembrado sem dor, sem sofrimento, apenas com a consciência de que valeu muito a pena e que  minha vida não é construída a partir do dia de hoje, mas que houve um ontem, que me ajuda a compor o agora e o depois... 

Mas, mesmo aprendendo tudo isso, a saudade ainda me remete a algumas perdas da minha vida... Coisas que já morreram em mim: Sentimentos, o que eu deixei de ser, o que deixei de viver, fases da vida que passaram e talvez no momento eu nem soube  ou não quis viver ou valorizar como devido... Pessoas, que sem que eu deixasse, se foram desse mundo e deixaram um vazio enorme e dolorido no meu coração. Pessoas que ainda estão vivas, mas que já se foram da minha vida, deixando o mesmo e incontestável vazio.

Então, em contrapartida, é algo tão subjetivamente bom de sentir, pois a saudade é um sinal que vivi coisas em minha vida que tenham valido a pena e deixado uma marca eterna em meu ser. Não pelo que se foi ou morreu, mas pelo que adquiri, pelo que tenho, pelo maravilhoso aprendizado que ela me proporcionou, proporciona e proporcionará sempre que eu senti-la.

Eu tenho a consciência do benefício que a saudade me traz. Poder enxergar a saudade e suas consequências por outra ótica é maravilhoso, pois é sempre muito bom experimentar e sentir-me aqui e em outros lugares, tempos, sentimentos, com outras pessoas, coisas que passaram pela minha vida.

Pensar nos momentos em que sofri mas, inevitavelmente, cresci, nas horas tristes que foram sucedidas pelos largos sorrisos e afáveis abraços... No amor que se foi, mas fortaleceu meu coração e me fez uma pessoa mais preparada para um novo amor e todos sentimentos que o compõe.

Ter passado é bom, sentir saudades é melhor ainda, faz bem, faz parte da pessoa que sou agora e do que, certamente, ainda me tornarei. E por sua vez, o presente me envolve, me faz recordar as coisas boas ou ruins pelas quais passei, e ainda me faz sentir saudades do que foi bom, ou ao menos marcante de alguma maneira em minha vida, e depois de tudo, ainda me dá a chance de viver um presente melhor, preparando um futuro promissor a partir das experiências adquiridas com o passado.

Eu travo uma luta diária comigo mesma e com as minhas lembranças para ficar só na boa saudade e me livrar da nostalgia que devasta, focando o pensamento no que está vivo, no que vibra agora, dentro de mim, no presente, e no que ainda está por vir. No que restou daquilo que morreu em mim,  mas que me faz ser quem eu sou hoje. E no que só existe hoje, porque essas outras coisas, apesar de já terem ido, existiram em mim e me fizeram existir assim.

Eu sinto que nem preciso ficar tão ansiosa, pois não importa como, mas o futuro vem, é certo que ele vem, pois é o ciclo da vida ter passado, presente e futuro. E é por causa dessa certeza, que preciso me desprender do passado e sempre construir novas histórias, novas lembranças com a perspectiva de novas e maravilhosas saudades sem viver me alimentando de lembranças remotas, saudades doloridas, vários arrependimentos e lamentações tardias, numa doentia nostalgia.

Vannessa Adriana Butterfly

terça-feira, 14 de junho de 2011


ME DÊ COLO, CUIDA DE MIM?

Eu estou me sentindo um pouco cansada física, mental e emocionalmente... Sem forças, sem muitas expectativas, e até um pouco triste... Mas, especialmente, nessa noite quero que me encontre e cuide muito bem de mim... Não quero que trate apenas do meu corpo, mas da minha alma e do meu espírito... Não quero que tire apenas o peso dos meus ombros, mas todo o fardo que carrego no meu coração...  Quero um afago, um colo, um ombro onde eu possa repousar todos os meus sentimentos, pensamentos, inquietações, desejos.

Eu vou deitar-me na minha aconchegante cama sem pensar em nada, e você vai me fazer adormecer com um sono típico dos anjos, e vou deixar com que você vele o meu sono e em meus sonhos, que me leve a visitar lugares maravilhosos e indescritíveis... Mas, não se esqueça, não sou tão fácil, sou exigente,  perfeccionista, imediadista, teimosa e ansiosa!  Ah, não quero que me leve a este passeio com vestes brancas e leves... Eu prefiro passear de roupas com o meu estilo: Uma confortável calça jeans, e uma blusinha preta básica...

E lembre-se que eu preciso de um lugar paradisíaco, com um vasto e lindo jardim de grama verdinha e macia, de um lindo e colorido florido, e ao meio, uma frondosa árvore verdejante, de uma maravilhosa sombra que me proporcionará um frescor, que ao mesmo tempo me aquecerá, que seja um lugar bem acalentador, quero estar rodeada pelas mais belas borboletas, ouvindo apenas o som dos pássaros que gorgeiam o som da paz, o soprar do vento cristalizado pela terna tranquilidade, e as águas cristalinas que correm no riozinho a frente, um lugar encantador, acolhedor, colorido, cheio de harmonia e felicidade, um lugar angelical e muito especial.

Nesse lugar, eu quero que me deixe descansar e, com os olhos fechados eu buscarei a luz, silenciarei-me e revisarei o meu coração, numa sábia tentativa de verdadeira introspecção, para me conhecer mais intimamente e, quem sabe, descobrir a minha verdadeira missão, para isso, tentarei ouvir a voz do meu silêncio que precisa se expressar mais que nunca nesse momento. Porque eu quero e preciso sentir uma paz indescritível, e esquecer tudo que atormenta o meu frágil coração.

Quero que esteja o tempo inteiro ao meu lado, mas sem impor a sua presença, a fim de que eu não sinta um minutinho, se quer, o gostinho da solidão, mas também não me sinta pressionada, eu quero que você me tranquilize, me renove as forças, me ajude a reavaliar a minha vida, me encha de esperanças sobre coisas que, às vezes, pelas dificuldades da vida, já não me fazem mais sentido, que me ajude a perceber e valorizar as coisas mais simples desse mundo, e me ajude a encontrar o caminho da paz e da felicidade.

E quando a brisa do alvorecer tocar a minha pele, e o meu corpo demonstrar uma inquietação involuntária, já será a hora de você me levar para que eu desperte de volta em meu quarto, me sentindo como nunca, com o corpo e a alma renovados, recarregados de ótimas energias e com uma sensação de que me sentirei assim por tempo indeterminado.

Mas não pense que, ao me despertar, não quero lembrar-me de cada gesto seu, no intuito de cuidar de mim,  pois quando um dia eu me sentir cansada novamente, quero me lembrar de tudo como algo bem possível e de fácil acesso, para que eu possa mentalizar cada acontecimento a ponto de retornar um a um, podendo outra vez me adormecer e deleitar em seu aconchego, permitindo que você cuide de mim novamente.

Vannessa Adriana Butterfly

segunda-feira, 13 de junho de 2011


ANJO EXISTE?


Será que devo acreditar que anjo existe? Pois é, se existe, estou precisando de um que esteja disposto a estar ao meu lado independente das minhas qualidades e dos meus defeitos... Um anjo que  me entenda e me ajude nas minhas limitações como humana que sou.

Às vezes, me sinto triste, incompreendida, sinto a falta de alguém que me ame incondicionalmente. Preciso ser cuidada... Sentir-me protegida... Ser ouvida... Ser entendida, sem cobranças, com a verdadeira magnitude de um anjo...

E quando eu sentir-me cansada, esse anjo cantar para eu dormir em paz, de forma que eu me sinta completamente envolvida por suas asas, por seu Amor, carinho, cuidado...

E que em momentos de ânimo, ele possa me levar aos melhores passeios, apresentando-me assim, as estrelas do céu e do mar...

Quero que esse anjo venha secar qualquer lágrima que, dos meus olhos, ousar cair, e possa tentar desviar todo mal do meu pensamento, estando comigo a todo o momento...

Assim, além de acreditar que anjo existe, eu também vou descobrir que só não apenas existe um anjo protetor, mas também o verdadeiro amor...

Vannessa Adriana Butterfly

sábado, 11 de junho de 2011


ROUPA NOVA

Desde o princípio, eu senti que A VIAGEM seria imensamente maravilhosa e importante, pois seria divertida como um jogo de VÍDEO GAME, mas que também serviria para um reencontro comigo mesma... Então eu logo pensei: AGUENTA CORAÇÃO...

De ROUPA NOVA e SAPATO VELHO, mas que parecia novo, porém, isso não importava naquele momento, pois mesmo assim eu estava me sentindo LINDA DEMAIS, que até parecia viver o encanto que envolve os contos de PRINCESA...

Por isso fui SEGUINDO NUM TREM AZUL, que da janela eu tinha uma visão privilegiada de TODO O AZUL DO MAR... Lá fora, caia uma CHUVA DE PRATA, e dentro, um ANJO, sentado ao meu lado, convenceu-me a querer essa VOLTA PRA MIM, e logo nas primeiras curvas, eu senti que A PAZ  e a FELICIDADE voltava para esse CORAÇÃO PIRATA, então comecei a ouvir dentro de mim, o TEMA DA VITÓRIA...

Eu entendi que, apesar de sentir que, o MEU UNIVERSO É VOCÊ, mesmo assim, eu devo existir independente DE NINGUÉM, porque, verdadeiramente, AMAR É trazer no coração muito amor por mim mesma e grande vontade de viver, apesar de existirem LEMBRANÇAS boas e ruins...

Senti CLAREAR no coração, a ideia de que NOS BAILES DA VIDA se faz presente A FORÇA DO AMOR, e que nessa vida, o SHOW DE ROCK'N ROLL é BEM MAIOR que COMEÇO, MEIO E FIM, por isso, me fez crer que CANTAR FAZ FELIZ O CORAÇÃO...

E, de volta para casa, sentindo que, algumas coisas, eu AMO EM SILÊNCIO, com os mais diversos e bonitos sentimentos A FLOR DA PELE, me senti DONA de mim, numa vida embalada por uma linda CANÇÃO DE VERÃO, apresentada em forma de VÍDEO SHOW...

A carreira e as músicas de vocês, são Lição de Vida , Paz e Amor! Obrigada, Roupa Nova, por, com suas músicas de sucessos incontestáveis, estar conseguindo me trazer tanta alegria por tantos longos anos... E é, justamente, por vocês e POR TODAS ELAS que eu desejo mais 30, mais 50, mais 100 anos de sucesso e boa intervenção em minha vida!!!

Vannessa Adriana Butterfly

sexta-feira, 10 de junho de 2011

SOU MENINA, MOLECA, MOÇA E MULHER... 

***SOU MENINA***
Sou menina quando sinto falta da escolinha, dos festivos aniversários infantis que recebia, dos meus companheiros ursinhos de pelúcia e das minhas bonecas favoritas... Quando ainda sinto na boca o sabor da pipoca, do algodão doce e da bala de coco... Quando a minha vontade de brincar de ser feliz é maior que a roda gigante do maior parque de diversão do mundo... Quando quero o mimo dos meus pais, minha irmã e sobrinho, carinho da minha cadelinha, atenção de alguém especial...

***SOU MOLECA***
Sou moleca quando tenho minhas ideias malucas, daí saio inventando coisas, escrevendo versos, poesias e enormes textos sobre a minha vida, sobre o ser humano, sobre sentimentos, sobre o mundo... E mesmo quando eu coloco as minhas ideias em seus devidos lugares e volto à realidade, fazendo transparecer em mim a maturidade precoce que carrego comigo desde menina, acredito que posso enfrentar o mundo com o meu sorriso adolescente... 

***SOU MOÇA***
Sou moça quando tenho aquelas crises existenciais do tipo: " Ah! Por que eu nasci?", "Por que eu não consigo ser de outro jeito?", "Por que o Mundo parece tão diferente de mim?", "Por que os valores que realmente importam se contam na mão e não no coração?" Quando penso que posso salvar o Planeta Água apenas com as minhas ações conscientes... Quando me deixo levar pelo único sentimento que acredito ser a salvação da humanidade: O Amor 

***SOU MULHER***
Sou mulher quando sou teimosa, quando tenho ciúmes de tudo que penso ser meu, arrisco tudo, ganho ou perco, choro, sofro, me arrependo por ter feito, ou por ter deixado de fazer... Quando sinto nas costas o peso de ser adulta e ter mesmo é que sobreviver em meio tantas cobranças feitas por mim mesma e pela sociedade... Quando tenho que me impor, exigir respeito e conquistar o meu espaço... Quando sofro minhas desilusões e ainda permaneço com a esperança de que tudo vai dar certo...

 Mas no fim, não importa se menina, moleca, moça ou mulher, sou sempre eu mesma: uma pessoa com o pensamento coerente de uma mulher, o sentimento intenso de uma moça, o espírito aventureiro de uma moleca e a alma inocente de uma menina. Enfim, sou a personificação de todas em uma e de uma em todas, seja ela qual for, na ocasião em que lhe couber... 

Vannessa Adriana Butterfly

quinta-feira, 9 de junho de 2011


QUATRO ESTAÇÕES

Poucas vezes, paramos para observar que as nossas vidas passam por momentos semelhantes aos que passa a mãe natureza, mas se nos atentarmos mais a isso, não é difícil perceber...

Quantas vezes sentimos a nossa alma feliz, com uma alegria contagiante a ponto de não nos contermos em nós mesmos e queremos passar esses sentimentos aos nossos semelhantes... Nos sentimos com vida, esperança, cor, brilho e perfume... Onde recebemos visitas constantes de sentimentos de carinho, admiração, amor, compreensão e os compartilhamos com as pessoas que nos são importantes... É como se fôssemos um jardim florido visitado frequentemente por lindas borboletas... E é assim a nossa PRIMAVERA!!!

E aí, com toda essa energia, essa luminosidade que nos transmite esse período tão legal, vem o calor, o sol mais intenso que acaba por nos aquecer os sentimentos, mesmo aqueles mais esquecidos e que já os considerávamos sem chances de sentirmos novamente. É tanta coisa boa, parece que tudo é melhor, que a Lua tem mais brilho, o Sol mais calor, o Arco-íris mais cor, a Flor tem mais perfume, o Alimento mais sabor e  a Vida mais amor... É um calor que nos aquece a alma e traz aconchego ao coração... E assim acontece o VERÃO da nossa existência...

Mas nem tudo são flores, nem todos os dias, o sol brilha em nossas vidas... E vem um tempo onde é o momento de repensar, de analisar cada sentimento, cada atitude, o que realmente vale a pena de verdade... É o momento onde a nossa alma começa a perder as folhas antigas, para dar lugar às novas, pois é tempo de renovação, de transformação, de aprendizagem... E mesmo que estejamos perdendo para receber algo novo, não é fácil, a dor da perda é inevitável... É quando o sol nasce, mas não ilumina e nem aquece como em outros tempos... Mas é um tempo de renascimento, de poder encontrar caminhos para as coisas darem certo de uma certa forma... E é onde, se fizermos uso da paciência, conseguimos colher os melhores frutos... E assim atravessamos o OUTONO da nossa vida!!!

E chegamos onde é mais dolorido, onde o calor humano nos parece mais caro, mais raro... Pois enfrentar momentos de muito frio e escassez, não é nada fácil, principalmente se nos sentimos ou estamos sós... E são nesses momentos tão difíceis que quase sempre nos julgamos tão sozinhos, e nos sentimos sem muitas perspectivas... Nos fechamos em nós mesmos e muitas vezes nem percebemos que mesmo diante de tanto frio e insegurança, o Sol irradia o seu calor para nos ajudar a enfrentar e sobreviver ao rigor do INVERNO...

Mas felizmente não paramos por aí, estamos sempre seguindo em frente, e muitas vezes começamos repensar as nossas atitudes, tentamos incansavelmente desvendar os mistérios da vida e as diversas facetas do ser humano, com o único objetivo de uma vida melhor... E queremos saborear cada um daqueles frutos que colhemos anteriormente... Mas percebemos que nem tudo depende única e exclusivamente de nós, portanto, sabemos que fazendo a nossa parte, já é meio caminho andado para se chegar novamente à deliciosa PRIMAVERA!!!

E assim vamos passando sempre pelas Quatro Estações da Nossa Vida, conseguindo atravessar e vencer cada ciclo da nossa existência!!!

Vannessa Adriana Butterfly

quarta-feira, 8 de junho de 2011

  • BUSCAS

    A vida, cada vez se mostra mais complexa, o mundo em constante evolução,e não queromos ficar para trás, por isso,estamos sempre buscando alguma coisa.

    Quantas vezes, gastamos tempo e energia em busca de algo que julgamos, naquele momento, ser vital para nossa existência, então, após tantos sacrifícios, conseguimos.

    Ah!!! Mas, juntamente com a chegada da coisa tão buscada, nos vem a triste constatação: Sinceramente, essa coisa já não nos interessa mais, talvez tenha chegado tarde demais!!!

    Vannessa Adriana Butterfly