sábado, 21 de março de 2015

LIBERDADE

  iberte-me, pois sou, unicamente, tradução
I    nterpretação dos meus mais íntimos mistérios
B   eirando um abismo que não avisto o chão
E   xcluí-me de alguns impostos critérios
R   econstruindo uma ideia de grande inspiração
D   escontruindo os cuidados que só pareciam sérios
A   ssumindo, que há uma liberdade de imaginação
D   esvendando sempre os possíveis mistérios
E   não permitindo, que de mim, façam compilação


Vannessa Adriana Butterfly
ANA JÚLIA

A   inestimável, linda e preciosa princesinha da titia
N   ão se dá conta que me fazer feliz é uma garantia
A   njinho tão meigo, sorridente, menininha simpatia

J   amais imaginei que tudo isso, em meu coração cabia
U  m amor arrebatador, nem se quer pensei que existia
L   inda borboletinha, me faz rir com mágica maestria
I   ntenso brilho em seus olhos meu coração contagia
A  H! Se possível, todos seus lindos sonhos eu realizaria


Vannessa Adriana Butterfly
INSPIRAÇÃO X IMAGINAÇÃO

Nem sempre escrevo o que vivo
Nem sempre vivo o que escrevo
Às vezes, apenas uso a inspiração
Dando asas à minha imaginação

Vannessa Adriana Butterfly
LAR

L ugar para onde sempre tenho
   a certeza de querer retornar,
   sinto que é o meu verdadeiro
   porto seguro, meu ninho, meu
   casulo, impossível substituição.

   A h! É onde me sinto mais à vontade,
    independente de ser muito luxuoso,
    ou bem simples, mas é o meu lugar,
    meu aconchego, é onde eu me sinto
    mais eu, em plena e suave liberdade.

R econheço que gosto muito de passear,
    viajar, e sempre que viajo, curto cada
    ínfimo momento, mas é quando chego
    no meu lar, que sinto minha alma se 
    acalmar, aproveito bem meu deleitar.

Vannessa Adriana Butterfly

segunda-feira, 9 de março de 2015

VERBALIZANDO SENTIMENTOS

Devemos aproveitar cada ínfimo momento
de nossa vida tão efêmera para dizer, e fazer
todas as coisas de bem às pessoas que amamos,
que nos fazem bem, que nos são importantes,
pois é certo que não temos controle do tempo...

Pois, são raros os momentos que temos essa
oportunidade, e mais rara ainda as vezes que
temos coragem suficiente para verbalizarmos
aquilo que guardamos com tanto sentimento
em nosso tão frágil, porém, sensível coração...

E, mais ainda, não sabemos bem quando nos
será tirada, essa tão importante oportunidade,
por qualquer motivo alheio a nossa vontade,
seja por uma distância provocada, ou por uma
distância não programada, almejada, esperada...


Vannessa Adriana Butterfly

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

MANIFESTAÇÃO DE ESPERANÇA


Sobre uma terra já adormecida,
mergulhada em silêncio e pausa,
pela dor de mais tenra cinza cor,
escolhida dentre tantas aquarelas...

Prevalecem os graciosos bailados,
expressivos murmúrios harmoniosos
das queridas borboletas que sabem-se
encantadoras, coloridas e belas...

Vannessa Adriana Butterfly

domingo, 31 de agosto de 2014


DESVIVER

Me parece que não tem mais jeito, sim, é o fim
Infelizmente, já não sinto mais força em mim
Sinto-me desfazer-me em dor, totalmente coagida

Sei de tudo que passei até chegar nesse patamar

Sinceramente, não consigo mais esse peso carregar
É a terrível sensação de uma criança desprotegida

Me pergunto tantas vezes: Como, e para onde correr?
Nenhuma resposta, ninguém que possa me socorrer
E, já não mais sinto força em viver, estou exaurida

Só eu sei o quanto lutei para conseguir sobreviver

Nesse momento é uma questão de não mais querer
Não me importa os julgamentos, se abriram a ferida 

Vannessa Adriana Butterfly

sexta-feira, 15 de agosto de 2014


SOLIDÃO CONSENTIDA

Muitas vezes, em momentos mil da minha vida,
tenho preferido ficar sozinha com minha poesia, 

minha imaginação a serviço da minha inspiração....

Poucas vezes, dentro dessa reles solidão consentida,
tenho conseguido contemplar melhor companhia,
para um frágil, sensível, sincero, sofrido coração...

É sinistro, possuo sentimentos, por contrapartida,
tenho percebido algum alento em exemplar maestria,
quem sabe, a saída dentre minha razão e emoção...

Não vou esconder, almejo por alguém ser acolhida,

tenho um coração carente, e sozinha na ventania,
fui abandonada deliberadamente, falsa distração...

Vannessa Adriana Butterfly
TRISTEZA QUE ENLAÇA

Não entendo o lutar tanto para sobreviver
Se eu já não consigo ver o sentido de viver
Tudo me parece tão obscuro e sem graça

Me esforço a enxergar uma luz a me guiar
Mas são tantas coisas que estão a ofuscar
O vapor da tristeza paira em minha vidraça

Pensar no futuro, se não vivo o presente
A decepção e a dor em mim é tão latente
Não sei como esperar sozinha na praça

Não é um sentimento de receio, de medo
Parece um grande devaneio, triste enredo
Que meu eu não fuja de mim, não me traça

Por tantas vezes eu tento um eficiente disfarce
Mas as lágrimas insistem em descer pela face
Sorrir, se quero chorar, grande arte de palhaça


Vannessa Adriana Butterfly

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

É PRECISO SE HUMANIZAR

Pensa certo que quem vê cara não vê coração, 
engana-se muito quem se permite julgar 
pelo que se vê com seus olhos míopes, 
se poderia com a alma enxergar...

Às vezes, é tão difícil caminhar, chegamos a pensar, 

lá, impossível chegar, mais uma batalha a encarar, 
peso enorme a carregar, e tanta dor a incomodar, 
sem ter nada, e nem ninguém para nos apoiar...

Quantos vales que sozinhos arriscamos atravessar, 

ninguém para ao nosso lado estar, a mão segurar, 
se ao menos tivesse quem nossas lágrimas enxugar,
parece que precisamos com a solidão acostumar...
 

Por vezes, precisamos em nosso rosto estampar,
um belo sorriso, sendo que a vontade é de gritar,
até parece que tudo está em seu devido lugar, 

mas o nosso coração se desmancha em chorar...

Não entendo porque acham mais fácil julgar, 

tripudiar, a tentar entender, ou mesmo respeitar,
ainda que não queira, não pode, não vai se safar
ainda que não saiba nem mesmo ajudar...

A vida é difícil para todos, tantas coisas a desabar,

sensação estranha de que sempre estão a nos testar,
não que eu deseje, mas, se hoje sou eu a agonizar,
quem sabe o dia em que será você a sofrer e chorar...


Vannessa Adriana Butterfly